Você conhece a arte do Blend em cachaças?

O blend surgiu com o vinho. Os produtores misturavam vinhos para chegar a um paladar agradável e agradar os grandes nobres. Com o tempo, passou a ser usada também no Uísque, para misturar a bebida destilada de diversos grãos com a bebida destilada de malte puro e gerar um uísque de qualidade intermediária.


A técnica foi aplicada na cachaça com muito sucesso! No Brasil a técnica é usada para misturar cachaças de diferentes idades e diferentes barris, buscando assim, agregar o que há de melhor em cada um. Há diversos tipos de madeira com características peculiares que só existem no Brasil, e isso torna nossa bebida ainda mais valiosa e nossa possibilidade de blend muito mais rica.


Um bom master blender vai procurar equilibrar os sabores, aromas que cada uma fornece e suprir a falta ou o excesso que uma madeira pode entregar! O Carvalho traz aroma doce, mas paladar seco, a Amburana traz aromas complexos, e paladar doce, o Jequitibá Rosa traz aromas frutados, florais e é de baixa acidez, o Jatobá traz amargor, o Bálsamo notas cítricas, e por aí vai a nossa infinidade de possibilidades!


Porém, para se desenvolver um blend é necessário estudo, pesquisa, e muito teste sensorial! Apenas misturar algumas cachaças podem dar um resultado desastroso e, assim como, um bom blend pode equilibrar duas cachaças diferentes, um blend feito de forma incorreta pode desequilibrar bons produtos e resultar em um sabor não muito agradável!


Você já teve alguma experiência com blends de cachaça? Se sim, conte para nós como foi!


20 visualizações0 comentário